The Project

Desenvolvimento

Preparing for LNG Production

Após a perfuração bem-sucedida de um poço e a confirmação, através de actividades de avaliação, da existência de quantidades comerciais de gás natural, dá-se início à fase de desenvolvimento. Em regra, o desenvolvimento inclui a preparação dos poços para a produção. Uma vez que o gás natural existente na Área 1 no mar de Moçambique está situado a aproximadamente 40 quilómetros no mar e a profundidades de água de cerca de 1.600 metros, é necessário equipamento especial para produzir, recolher, processar e transportar o gás natural para as instalações em terra, com vista ao seu ulterior processamento.

Image: Development Drilling


Realização do poço

O poço é "concluído " fazendo descer no furo um tubo de aço, que é designado por revestimento, e fixando-o com cimento. Seguidamente, o tubo é perfurado na zona visada de modo a criar uma via de escoamento com a rocha gasífera. Um segundo tubo de aço, que é designado por tubagem, é descido no poço, permitindo ao gás natural escoar uma distância de 2.500 metros até ao fundo marinho.

Recolha

No fundo marinho, o gás natural é recolhido em sistemas centrais de escoamento (manifolds), a partir de vários poços. A partir daqui o gás natural entra num gasoduto, que o transporta para a unidade de GNL em terra. Os sistemas subaquáticos dispõem de controlos submarinos para regular o fluxo proveniente dos poços e proporcionar um meio seguro e fiável de desactivação

Processamento e liquefacção

A instalação em terra do Projecto de GNL em Moçambique irá receber, pré-tratar e liquefazer o gás natural. Durante a fase de pré-tratamento, o gás natural flui através de uma série de tubos e recipientes concebidos para remover a água e os líquidos de hidrocarbonetos, para além de eventuais impurezas, de modo a produzir gás de elevada qualidade.

Após o gás ser tratado e preparado, o caudal de gás é dirigido para uma unidade de liquefacção, onde passa por várias etapas de refrigeração. Quando se arrefece o gás até cerca de -160ºC, o gás condensa e forma um líquido límpido, incolor e não tóxico. O processo de liquefacção reduz o volume do gás em 600 vezes, facilitando o armazenamento e o transporte.

Armazenamento de GNL

Uma vez liquefeito, o GNL é colocado em tanques de grande volume, especialmente concebidos para o efeito, estanques e não pressurizados, onde fica armazenado, a -160ºC, até estar pronto para o transporte. Todos os tanques do projecto de GNL em Moçambique serão de contenção total, em conformidade com as normas do sector. Em regra, os tanques de contenção total dispõem de uma contenção primária para líquidos, um tanque interno de tecto aberto e um tanque externo em betão pré-esforçado. O tanque primário é construído em aço com 9% de níquel, caracterizado pela sua excelente robustez e resistência a temperaturas criogénicas.

A camada externa em betão proporciona uma contenção primária para vapores e uma contenção secundária para líquidos. Actuando como uma fonte de contenção de reserva, o tanque externo assegurará a contenção dos líquidos e permitirá igualmente a libertação segura e controlada dos vapores, se tal for necessário.

As instalações de armazenamento estão equipadas com sistemas de segurança avançados para monitorar as pressões e permitir a detecção precoce de possíveis problemas, activando rapidamente o desligamento de emergência, se for caso disso.

Transporte do GNL

A partir dos tanques de armazenamento, o GNL será transportado através de gasodutos isolados até uma ponte-cais próxima, para exportação, onde será carregado em navios-tanque de GNL construídos para o efeito.

Os navios-tanque de GNL apresentam-se em diversos tamanhos, formas e desenhos. Não existe um "modelo único". O tamanho do navio é optimizado para cada projecto. Uma das características principais dos navios-tanque de casco duplo especialmente concebidos para o projecto consiste nos seus tanques de contenção isolados, que mantêm o GNL no estado líquido durante as viagens marítimas para os mercados e consumidores de todo o mundo.

Uma vez carregado o GNL no navio-tanque, este mantém o GNL no estado líquido para entrega nos mercados de todo o mundo. Essencialmente, o navio-tanque de GNL actua como o "gasoduto" para a entrega noutros mercados de todo o globo.

As viagens de ida de Moçambique para os terminais situados no Norte da Índia podem demorar 7 dias, ao passo que o transporte de um carregamento de GNL para certos mercados japoneses pode demorar cerca de 17 dias. Quando o navio-tanque de GNL chega ao seu destino final, o GNL é descarregado no terminal de regaseificação do comprador. O GNL é transferido para tanques de armazenamento e, seguidamente, sujeito a vaporização, um processo que aquece o GNL para o converter de novo em gás natural. O gás natural de combustão limpa é então entregue aos consumidores finais visados, para fornecer energia.

TOP