Responsibility

Iniciativas de desenvolvimento regional

Apoio à formação avançada

O curso de Mestrado em Engenharia de Petróleo (MEP) da Universidade Eduardo Mondlane é o primeiro do género em Moçambique. O MEP, patrocinado pela Anadarko e pelos participantes na Área 1, resulta de uma colaboração entre professores de engenharia e geologia da UEM, especialistas da Anadarko na matéria e docentes de alguns dos melhores cursos de engenharia petrolífera dos Estados Unidos. Este curso representa uma abordagem única ao desenvolvimento de programas sustentáveis de ensino sobre o petróleo em Moçambique, já que promove o reforço das capacidades nacionais neste domínio.

O primeiro curso de mestrado foi lançado em Fevereiro de 2014, na Faculdade de Engenharia da UEM. A sessão de lançamento serviu igualmente para reconhecer mais de 20 alunos que concluíram, em 2013, os pré-requisitos curriculares em Engenharia de Petróleo. O grupo inaugural é totalmente composto por profissionais que trabalham a tempo inteiro para diversas empresas, sendo representativo de diversas províncias moçambicanas, incluindo Maputo, Nampula e Gaza. 

Em Fevereiro de 2015, o curso de EP contava já com mais de 50 alunos: 75 por cento profissionais a tempo inteiro e 25 por cento alunos provenientes directamente do primeiro ciclo de formação. Foi a primeira vez que o curso contou com alunos de todos os três níveis (primeiro ciclo de formação, primeiro ano de mestrado e segundo ano de mestrado).

Em 2016, concluíram o curso 12 alunos, tendo dois deles prosseguido os seus estudos num curso de doutoramento na Noruega. Dois alunos ingressaram na AMA1 como engenheiros. Os alunos do segundo ano de mestrado fazem parte de um grupo de indivíduos com o grau de Mestre em Engenharia de Petróleo da UEM – os primeiros a obter este título na história de Moçambique.

O desenvolvimento deste curso constitui um subcomponente do nosso programa mais vasto de promoção do conteúdo nacional.

Image: Supporting Advanced Education


Image: Enhancing Pediatric Care

Reforço dos cuidados pediátricos

Desde 2011, apoiamos o programa de promoção de cuidados pediátricos “Partners for Pediatric Progress” (PPP), uma iniciativa da University of California – Los Angeles (UCLA), em parceria com o Departamento de Pediatria do Hospital Central de Maputo e da Faculdade de Medicina da UEM. O apoio por parte da Anadarko e dos participantes na Área 1 permitiu ao PPP contratar, a tempo inteiro, um pediatra com formação nos E.U.A. e docente da UCLA, para ficar sediado em Maputo. O PPP tem promovido a realização em Maputo de acções de formação por especialistas da UCLA com experiência nos campos da radiologia pediátrica, cardiologia, neonatologia, doenças infecciosas e cuidados intensivos, para além de coordenar viagens de intercâmbio para médicos moçambicanos, permitindo-lhes permanecer um período de tempo no campus de medicina da UCLA. O PPP apoiou ainda a formação do primeiro cirurgião pediátrico de Moçambique. Hoje, Moçambique tem cerca de 70 pediatras qualificados e dois cirurgiões pediátricos qualificados, estando actualmente a receber formação três outros cirurgiões pediátricos.

Inspirado pelo sucesso da iniciativa em Maputo, o PPP alargou a formação pediátrica ao distrito de Palma, em Cabo Delgado, o local da futura unidade de GNL, ao introduzir a formação médica para médicos, técnicos de medicina, enfermeiras, parteiras e prestadores de cuidados de saúde comunitários, com ênfase nos cuidados pediátricos. Foi dada formação a funcionários dos seis centros de saúde e a prestadores de cuidados de saúde comunitários do distrito de Palma. Os funcionários dos referidos centros de saúde aprenderam sobre a prestação de cuidados básicos e de ressuscitação a recém-nascidos. Os temas da formação incluem o programa global “Ajudar os Bebés a Respirar”, uma formação sobre ressuscitação neonatal e cuidados essenciais para recém-nascidos, que comprovou reduzir com êxito a mortalidade neonatal em até 50 por cento em ambientes semelhantes. A formação incide igualmente sobre as doenças pediátricas que exigem um grau elevado de cuidados, tais como as infecções parasitárias, a anemia, a má nutrição, as doenças respiratórias e diarreicas e a malária. Os centros de saúde recebem também materiais de formação e artigos médicos essenciais.


Sensibilização para a segurança rodoviária

Lançada em Agosto de 2014, a campanha de segurança rodoviária “Supatxenja”, patrocinada pela Anadarko, visa aumentar os conhecimentos e a sensibilização sobre os comportamentos seguros na estrada, como “Pára, Olha, Pensa e Avança!”. A campanha, inspirada no mundo dos super-heróis, espera chegar a aproximadamente 18.000 pessoas através de eventos escolares, teatro, música, pintura, workshops, concursos, eventos culturais e outras actividades em Pemba, Mocimboa da Praia e no distrito de Palma.

Os super-heróis Supatxenja são apoiados por uma liga de jovens activistas que colaboram com escolas e comunidades para identificar problemas de segurança rodoviária, definir as principais zonas de risco nos seus bairros e planear soluções. Foram criados grupos de foco para adoptar medidas concretas ao nível da segurança rodoviária, tais como a colocação de sinais de trânsito de abrandamento junto às escolas. Em colaboração com músicos locais populares em Pemba, a campanha produziu dois hinos pop sobre segurança rodoviária que têm sido transmitidos na rádio, promovendo a sensibilização sobre a segurança rodoviária junto de uma vasta audiência e encorajando todos a ser um Supatxenja. Em Maio de 2015, a campanha celebrou a Semana Global de Segurança Rodoviária com uma marcha e uma concentração, uma exposição, actividades dramáticas e pinturas de parede em Pemba.

A campanha trabalha em parceria com o governo, em particular com os municípios de Pemba e Mocimboa da Praia, a Direcção Provincial dos Transportes e Comunicações (DPTC), o Instituto Nacional dos Transportes Terrestres (INATTER) e a polícia de trânsito local.

Image: Creating Road Safety Awareness


Image: Supporting Community-Focused Conservation

Apoio à conservação da natureza centrada na comunidade

Em 2013, habitantes da Reserva Nacional de Niassa reuniram-se num pedaço de terra selvagem, vazio à excepção de arbustos e trilhos de hipopótamos, esperando que os seus líderes tradicionais aprovassem o local para uma nova iniciativa do Projecto Leões do Niassa (PLN). Esta iniciativa iria proporcionar emprego e formação de competências às comunidades que vivem lado a lado com leões, leopardos e elefantes. O PLN destina-se a proteger e conservar os leões e outros grandes carnívoros existentes na reserva, promovendo a coexistência entre as pessoas e a vida selvagem. Uma vez que os leões estão no topo da cadeia alimentar, o êxito da sua conservação depende da preservação da vida selvagem.

A Anadarko e os participantes na Área 1 reconhecem a importância de preservar a população de leões e a herança nacional de Moçambique através de acções de conservação e educação, tendo apoiado a construção do centro de formação e de competências do PLN em Mariri. Implementado por e para moçambicanos, o centro foi construído por uma equipa composta totalmente por habitantes locais, utilizando, tanto quanto possível, materiais económicos e obtidos localmente. Além disso, por cada tijolo fabricado para o centro, foi fabricado outro tijolo para projectos comunitários, tais como salas de aulas de educação para adultos e tanques de água. Os operários, alguns dos quais poderão ter recorrido à caça furtiva no passado, adquiriram um vasto leque de novas competências, incluindo nas áreas da carpintaria, alvenaria e construção de telhados de palha.

Combate ao VIH/SIDA

A Anadarko, juntamente com os participantes na Área 1, lançou recentemente uma parceria público-privada com a ONG Pathfinder International e com os centros de controlo e prevenção de doenças dos EUA que visa prevenir o alastramento do VIH/SIDA e das infecções sexualmente transmitidas em Palma, Mocimboa da Praia e Pemba, na província de Cabo Delgado. O projecto visa as populações em risco, tendo o objectivo de promover a utilização correcta e consistente de preservativos, aumentar a realização de testes e a obtenção de aconselhamento sobre o VIH e fomentar o acesso a serviços de saúde integrados de qualidade

TOP